Notícias

CAF é o primeiro banco de desenvolvimento multilateral em assinar o Acordo Marco de Credenciamento com o Fundo Verde para o Clima

Luis Enrique Berrizbeitia, vice-presidente-executivo do CAF -Banco de Desenvolvimento da América Latina-, e Javier Manzanares, diretor-executivo interino do Fundo Verde para o Clima (GCF por sua sigla em inglês), assinaram como parte da COP 22, em Marrocos, um Acordo Marco de Credenciamento, um instrumento jurídico que estabelece as condições básicas para que trabalhem em conjunto no uso dos recursos do GCF. 

“O CAF tem o prazer de assinar este acordo com o Fundo Verde para o Clima e esperamos ampliar nossa parceria com o GCF através de investimentos na região para responder às mudanças climáticas”, declarou Berrizbeitia. “Atualmente, o portfólio do CAF se concentra no financiamento de infraestrutura sustentável, energia renovável, eficiência energética, transporte sustentável, saneamento, agroindústria, entre outros”, continuou. “Prevê-se que 30% do portfólio até 2020 seja de “projetos verdes” e esta tendência irá aumentar, estimando-se 50% dos projetos verdes no portfólio até 2050”. 

Em junho, a Diretoria do GCF aprovou um projeto do CAF para apoiar o desenvolvimento de energia solar na região de Tarapacá, no Chile. O GCF investirá USD 49 milhões no Projeto Solar de Atacama, cofinanciado pelo CAF e por outros investidores. “Estamos muito contentes com a finalização do nosso acordo de colaboração com o CAF”, disse Manzanares. “Juntos podemos atender de uma melhor maneira às necessidades dos países da região e trabalhar em uma linha de projetos para um desenvolvimento baixo em emissões e resiliente ao clima na América Latina”.  

No total, 15 entidades credenciadas assinaram Acordos Marco de Credenciamento com o GCF, com o CAF sendo o primeiro banco de desenvolvimento multilateral, enquanto outras entidades estão em processo.

Em seu foco estratégico, o CAF tem o objetivo de apoiar os países da região no desenvolvimento de políticas e estratégias de mitigação e adaptação aos cenários de mudanças climáticas. Nos últimos 10 anos, a entidade destinou cerca de USD 1,5 bilhão para o financiamento verde. Apenas em 2014, a quantia total chegou a USD 2,8 bilhões, o que representa 24% do total das aprovações realizadas pelo CAF para esse ano. Entre as principais iniciativas se destacam 45 projetos de mecanismo limpo, 600 projetos de biocomércio financiados no Peru, Equador e Colômbia; projetos de pegada de água e carbono para Lima, Quito, La Paz, Fortaleza, Guayaquil, Montería e Cali, e o índice de vulnerabilidade em Arequipa, Guayaquil e São Paulo.


Tag(s): Notícia